AMARANTE – 20 sítios TOP na Cidade DESLUMBRANTE! (2021)

Amarante é deslumbrante! Fica nas margens do rio Tâmega e a pouco mais de 50 quilómetros da cidade do Porto. A cidade de Amarante oferece história, natureza, gastronomia, arte e religião. Poucas cidades oferecem tanto como Amarante!

AMARANTE

Amarante é uma cidade com cerca de 11000 habitantes. Uma pequena povoação que concentra a maioria dos seus serviços e comércio em Vila Meã. Apesar do seu tamanho reduzido, oferece a quem lá mora e a quem a visita uma multiplicidade de atrações! Neste artigo vamos dizer-lhe tudo o que não pode perder! Sugerimos que reserve na sua agenda 4 dias completos para sentir a alma de Amarante!

AMARANTE
AMARANTE

ONDE FICA AMARANTE?

Se partir de Lisboa, vai percorrer 361 quilómetros e demorar 3h28 para chegar a Amarante (via autoestrada A1). Um pequeno esforço que será largamente recompensado.

O QUE VISITAR EM AMARANTE?

A lista é longa e 4 dias não são demasiados para ver tanta coisa. Para lhe facilitar a leitura e a compreensão do artigo, dividimos as atrações em 3 blocos: 1-ATRAÇÕES NO CENTRO DE AMARANTE, 2-MONUMENTOS DA ROTA DO ROMÂNICO E 3-OUTRAS ATRAÇÕES DE AMARANTE. Para o ajudar a escolher a sequência do seu passeio preparámos-lhe um mapa! Esperamos que seja útil!

ATRAÇÕES NO CENTRO DE AMARANTE

CENTRO HISTÓRICO DE AMARANTE

Visite a pé o centro histórico de Amarante! Só a pé poderá sentir a atmosfera das suas ruas típicas. Dirija-se ao convento de São Gonçalo (o mais imponente monumento da cidade) e passe pela ponte sobre o magnífico rio Tâmega. Vá à rua 31 de Janeiro onde se come bem e se bebe ainda melhor. Entre, sente-se, tome alguma coisa e converse com os locais.

CENTRO HISTÓRICO DE AMARANTE
CENTRO DE AMARANTE

PONTE DE SÃO GONÇALO

A ponte de São Gonçalo é uma das maiores atrações de Amarante. Foi construída no século XVIII e sucedeu à velhinha ponte fortificada que datava da época medieval (removida em 1763 na sequência de uma enorme cheia do rio Tâmega). São Gonçalo está associado aos seus supostos milagres, a saber: retirar enormes pedras com as mãos, ver nascer águas das pedras e chamar os peixes para alimentar o povo.

Em 1809 a nova Ponte foi o local onde lutas sanguinárias foram travadas entre o povo português e as tropas napoleónicas. Foram 14 dias de defesa da povoação, num combate liderado pelo general Silveira (mais tarde condecorado com o titulo de Conde de Amarante). A ponte tem 50 metros de extensão e nas extremidades tem dois obeliscos barrocos (um obelisco é um monumento comemorativo).

PONTE DE SÃO GONÇALO
PONTE DE SÃO GONÇALO

IGREJA DE SÃO PEDRO

Ergueu-se no lugar de uma antiga capela. A sua construção foi concluída no ano de 1727. A igreja de São Pedro ostenta uma fachada e uma torre de estilo Barroco (estilo artístico nascido em Itália e que floresceu entre o século XVI e XVIII noutros países europeus e no continente americano). Destaca-se o teto da sacristia revestido em talha de madeira sendo considerado, no seu estilo, um dos mais bonitos do país.

igreja de são pedro amarante
IGREJA DE SÃO PEDRO

IGREJA DE SÃO DOMINGOS

É por um carreiro de pedra que acedemos à igreja do senhor dos aflitos (igreja de São Domingos). Foi mandada construir pela ordem Terceira de São Domingos e abriu portas no ano de 1725. No exterior destaca-se a fachada de estilo barroco. No interior encontrará uma talha dourada do século XVIII.

igreja de são domingos amarante
IGREJA DE SÃO DOMINGOS

Ao lado da igreja de São Domingos vai encontrar o Museu de Arte Sacra, local onde poderá admirar peças de arte relacionadas com o património religioso. Trata-se de um museu muito interessante e composto por 5 salas: sala de artes decorativas, sala de paramentária, sala de pintura-pinoteca, sala de imaginária (séc. XIX) e sala de imaginária dos séculos XVI e XVII. Quem o visita fica a conhecer melhor a arte religiosa relacionada com o cristianismo.

MUSEU DE ARTE SACRA EM AMARANTE

IGREJA E CONVENTO DE SÃO GONÇALO

Foi erigido em 1540 no mesmo sítio onde já existia um pequeno templo religioso da idade média (século XIII). A construção terá durado cerca de 60 anos e terá terminado pelo ano de 1600. É o grande orgulho da cidade e deve-se ao Santo São Gonçalo que se fixou em Amarante depois de peregrinar em Roma e Jerusalém. Os seus restos mortais encontram-se numa capela próxima deste conjunto monástico. A sua arquitetura tem influências maneiristas, barrocas e renascentistas. O exterior é imponente e o interior igualmente impressionante e belo. A não perder!

IGREJA E CONVENTO DE SÃO GONÇALO
IGREJA DE SÃO GONÇALO

IGREJA DA MISERICÓRDIA

Com o aparecimento das Misericórdias em Portugal (século XVI), terá surgido também a igreja da misericórdia. Não é possível precisar a data da construção do templo mas sabe-se que sofreu grandes renovações no século XIX, depois das bárbaras invasões francesas que destruíam tudo por onde passavam. Da construção original resiste ainda uma balaustrada no coro em estilo Rococó. Perto da igreja da misericórdia vai encontrar também um centro interpretativo de memórias da Misericórdia de Amarante. Se o visitar ficará a conhecer em profundidade o papel da instituição que conta já com 500 anos de existência.

IGREJA DA MISERICÓRDIA, AMARANTE
IGREJA DA MISERICÓRDIA, AMARANTE

SOLAR DOS MAGALHÃES

Desta casa senhorial do século XVI sobram apenas as paredes exteriores. Como o nome indica, a casa pertencia à família Magalhães e transformou-se num símbolo da resistência à entrada da vila aquando das invasões napoleónicas. Diz-se que os franceses terão incendiado as casas senhoriais como medida de retaliação à resistência portuguesa feita na ponte de São Gonçalo. A maioria das casas destruídas nessa época foram mais tarde reconstruídas. Mas o solar dos Magalhães nunca sofreu obras de restauro. É hoje um símbolo da resistência e da destruição das invasões francesas na região.

SOLAR DOS MAGALHÃES AMARANTE
SOLAR DOS MAGALHÃES

MUSEU AMADEO DE SOUZA-CARDOSO

O museu fica dentro de um velho convento dominicano, junto à igreja de São Gonçalo de Amarante. Nos anos 80 do século passado, o edifício foi alvo de uma recuperação e transformação do edifício num museu. O seu acervo conta com coleções de arte Portuguesa moderna e contemporânea. Há também um núcleo de arqueologia e os famosos “Diabos de Amarante”. As obras de Amadeo de Souza-Cardoso são a principal referência do museu.

MUSEU AMADEO DE SOUZA-CARDOSO
MUSEU AMADEO DE SOUZA-CARDOSO

PARQUE FLORESTAL DE AMARANTE

Foi em 1916, por diligências de António do Lago Cerqueira, que o parque de Amarante começou o seu processo de plantação e desenvolvimento. Fica precisamente no centro da cidade numa harmonia perfeita com o rio Tâmega. São muitos os que procuram o parque para fazer desporto, para relaxar ou simplesmente para caminhar. Tem uma vasta área de 5 hectares (não se esqueça que cada hectar equivale a mais ou menos 1 campo de futebol). Quem visita este local encontra uma flora riquíssima (plátanos, bordos e sequóias) e animais mais ou menos raros como gralhas e perdizes.

PARQUE FLORESTAL DE AMARANTE
PARQUE FLORESTAL DE AMARANTE

PRAIA FLUVIAL DE AURORA

Amarante tem várias praias fluviais. Decidimos recomendar a praia Fluvial de Aurora (também conhecida por praia fluvial dos Poços) por se encontrar no centro de Amarante (na margem direita do rio), mais exatamente na rua Capitães de Abril. A praia tem o apoio de diversas infraestruturas que tornam a visita mais agradável: um bar de praia, balneários, lava pés, sombras, parque de estacionamento, aluguer de gaivotas, parque de merendas. Nesta praia fluvial não é permitido o acesso a animais e também não é permitido jogar à bola. No momento dar um mergulho tenha cuidado porque HÁ ROCHAS ALTAS no meio do rio.

PRAIA FLUVIAL DE AURORA AMARANTE

MONUMENTOS DA ROTA DO ROMÂNICO

A rota do românico é um percurso por 58 magníficos templos localizados na zona Norte de Portugal. Têm em comum o estilo românico que caracteriza os templos religiosos desta região do país. Um caminho que percorre os rios Tâmega, Douro e Sousa. Divide-se em 3 rotas distintas:  a rota do vale do Tâmega (25 monumentos), a rota do Vale do Sousa (19 monumentos) e a rota do vale do Douro (14 monumentos entre Resende e Castelo de Paiva).

Amarante pertence à rota do Vale do Tâmega. Este percurso inclui monumento localizados em Celorico de Basto, Amarante, Penafiel e Marco de Canaveses. Uma experiência muita rica, cheias de paisagens deslumbrantes e de informação histórica sobre o passado de Portugal. Fenomenal!

ROTA DO ROMÂNICO

Segue-se agora a lista dos monumentos religiosos de Amarante que integra a rota do Vale do Tâmega.

MOSTEIRO DE SÃO MARTINHO DE MANCELOS

Um mosteiro muito belo e muito antigo! Os primeiros registos escritos referentes a este mosteiro datam de 1120. Um templo que foi erigido por particulares (linhagem dos Portocarreiros e dos Fonsecas). No exterior do mosteiro destacam-se a torre e as ameias que lhe emprestam grande imponência! No seu interior só o arco triunfal remete para o estilo românico. De referir que o mosteiro foi intervencionado muitas vezes ao longo do tempo, perdendo com essas reformas muitas das características românicas. Perto do mosteiro encontra-se a tumba do grande pintor do modernismo Amadeu de Souza-Cardoso.

MOSTEIRO DE SÃO MARTINHO DE MANCELOS
MOSTEIRO DE SÃO MARTINHO DE MANCELOS

MOSTEIRO DO SALVADOR DO FREIXO DE BAIXO

Mais um mosteiro imponente localizado junto a um curso de água e que pertence à rota do românico! Um exterior onde se destaca uma poderosa torre sineira e os alicerces do velhinho claustro (pátio interior). A fachada do mosteiro encontra-se em bom estado de conservação e nela salienta-se a decoração da sua porta de entrada. Dentro do tempo ressalta uma pintura que ilustra uma “cena de Epifania do Senhor”.

MOSTEIRO DO SALVADOR DO FREIXO DE BAIXO
MOSTEIRO DO SALVADOR DO FREIXO DE BAIXO

MOSTEIRO DO SALVADOR DE TRAVANCA

Mais um mosteiro que impressiona pela sua imponência! A igreja foi erigida durante o século XIII. Um templo que se associa à linhagem dos Gascos à qual pertencia um dos escudeiros de dom Afonso Henriques. No exterior podemos ver 3 naves. Sobressai a torre isolada que se assemelha a uma estrutura militar. É uma das mais altas de todo o património religioso medieval. O exterior (ainda) se encontra num bom estado mas o interior está entregue à sua sorte. Parece ser um local de arrumos de alguém… incompreensível…

MOSTEIRO DO SALVADOR DE TRAVANCA
MOSTEIRO DE SALVADOR DE TRAVANCA

IGREJA DE SANTA MARIA DE JAZENTE

Acredita-se que terá sido construída no final do século XIII ou no princípio do século XIV. É mais um testemunho da arquitetura medieval. É formada por uma nave e uma capela-mor retangulares. As paredes têm frestas por onde entra alguma luz para o interior. Desde 1977 que a igreja ostenta o estatuto de imóvel de interesse público.

IGREJA DE SANTA MARIA DE JAZENTE
IGREJA DE SANTA MARIA DE JAZENTE

IGREJA DE SANTA MARIA DE GONDAR

Mais uma igreja que pertence à rota do românico e que foi construída no século XIII. Fica no vale do rio ovelha e está associada à linhagem dos Gundares que, segundo reza a história, eram famosos na idade média. A igreja terá sido, num passado distante, um mosteiro para mulheres. No interior do templo podemos ver uma escultura (réplica) da virgem a amamentar o seu filho. Foi oferecida pelo primeiro pároco da igreja em 1470. Uma oferta muito importante para a comunidade. A escultura original encontra-se na nova igreja da freguesia.

IGREJA DE SANTA MARIA DE GONDAR
IGREJA DE SANTA MARIA DE GONDAR

OUTRAS ATRAÇÕES EM AMARANTE

SERRA DA ABOBOREIRA

A serra da Aboboreira estende-se pelos concelhos de Amarante, Marco de Canaveses e Baião. Um local com um património de grande riqueza e que permanece (praticamente) desconhecido pela maioria dos portugueses. Os primeiros povos a habitar a serra terão lá estado há cerca de 5 mil anos. A estruturas megalíticas são a grande atração da serra, um conjunto de estruturas classificadas como imóvel de interesse público desde 1990. A estrela maior dos monumentos megalíticos é a Anta de Chã de Parada, uma estrutura funerária que terá sido construída no século III A.C. Todos os anos é visitada por escolas, investigadores e alguns curiosos. A serra oferece também paisagens e vistas magníficas a quem a visita. Uma experiência a não perder!

CHÃ DE PARADA, SERRA DA ABOBOREIRA
CHÃ DE PARADA

PARQUE AQUÁTICO DE AMARANTE

Uma magnífica opção para crianças e… adultos! Abriu as suas portas em 1994 e é parte integrante de uma enorme estrutura de turismo com 44.000 metros quadrados chamada de “Tamega Clube”. Dentro deste complexo encontrará não apenas o parque mas também casas de turismo rural, uma piscina de ondas, um espaço para eventos e até mesmo um ginásio. O parque aquático ostenta o galardão de maior parque aquático de montanha da península Ibérica. Mas não é apenas o tamanho que impressiona. A sua localização e as vistas magníficas que proporciona são também um elemento de atração.

PARQUE AQUÁTICO DE AMARANTE
PARQUE AQUÁTICO DE AMARANTE

CAMPO DE GOLFE DE AMARANTE

O campo de golfe de Amarante fica a escassos 11 minutos de carro do centro da cidade. Fica na Quinta da Deveza e é um campo de Golfe de uma beleza única em Portugal. Se gosta de golfe e se vai usar este campo, provavelmente vai gastar mais tempo a admirar as magníficas paisagens (para a Serra do Marão e da Aboboreira) do que a jogar. O campo encontra-se a uma altitude de 600 metros (relativamente ao nível do mar). Os seus 18 buracos encontram-se harmoniosamente envolvidos numa paisagem repleta de lagos, miradouros para o rio Tâmega, montes e quedas de água. Lindíssimo!

GOLFE AMARANTE
GOLFE – Quinta da Deveza

PASSEAR DE “GUIGA” PELO RIO TÂMEGA

Comecemos por clarificar o significa de “Guiga”. Trata-se afinal do nome atribuído aos barcos tradicionais de Amarante. Se embarcar nesta viagem, vai ver Amarante de um outro ângulo, vai conhecer a cidade da perspetiva do rio Tâmega! Ao longo do percurso, vai passar por baixo da (bela) ponte velha e terá a oportunidade de ver um grande número de monumentos históricos que se encontram debruçados sobre o rio. As grandes atrações do passeio são as cascatas e o antigo moinho. Se o fizer num dia ameno e solarengo a experiência será ainda melhor!

PASSEAR DE GUIGA PELO TÂMEGA
PASSEAR DE GUIGA PELO TÂMEGA

FESTAS DE AMARANTE

Amarante está muitas vezes em festa! Mas é no primeiro fim de semana do mês de Junho que decorre a mais importante festividade da cidade. Uma celebração que evoca São Gonçalo, o padroeiro da cidade (apesar do dia de São Gonçalo ser assinalado no dia 10 de Janeiro). As ruas da cidade enchem-se de pessoas que assistem a concertos, a eventos religiosos ou simplesmente convivem.

FESTAS DE AMARANTE
FESTAS DE AMARANTE

VISITA VIRTUAL A AMARANTE

HISTÓRIA DE AMARANTE

É difícil precisar a data em que as primeiras povoações se fixaram neste local. Foram encontrados sinais da presença de povos primitivos que terão habitado na serra da Aboboreira durante a idade da pedra (a idade da pedra terminou no ano 2000 AC). A presença dos Romanos na região é comprovada pelos inúmeros vestígios que, ao longo do tempo, foram encontrados.

Acredita-se que a primeira construção erigida em Amarante terá sido por ordem da esposa de Dom Afonso Henriques (Dona Mafalda) no século XII – ordenou a construção da Albergaria do Covelo de Tâmega. É globalmente bem aceite a ideia de que Albergaria terá sido o embrião de Amarante. A povoação ter-se-á desenvolvido em redor deste primeiro aglomerado populacional. É factual que foi com a chegada de São Gonçalo (1187-1259), que o local começou a ganhar importância no reino.

GASTRONOMIA DE AMARANTE

Aquilo que se come em Amarante é consequência da geografia da cidade. Situada entre o Minho e Trás-os-Montes, a sua gastronomia sofre influência de ambos. A gastronomia de Amarante é mais uma atração da cidade. Por lá come-se o famoso cabrito serrano, diferentes tipos de feijoada, vitela da boa, tripas, cozido à portuguesa e também bacalhau. De referir que, em Amarante, os pratos típicos de bacalhau são “à Zé da calçada” e “à Custódia”.  Se quiser inovar, então opte por uma truta do Tâmega.  Famoso é também o arroz de frango e os ovos que têm especial relevância nos doces regionais.

DOCES CONVENTUAIS DE AMARANTE

Apesar da enorme destruição provocada pelas invasões francesas, as receitas dos doces conventuais não arderam com o incêndio do convento de Santa Clara de Amarante. Detentores e guardadores deste saber, os aristocratas da região decidiram partilhá-lo com as confeitarias da região. Os foguetes, as lérias, os papos de anjo e os São Gonçalo continuam a assumir-se como as estrelas da confeitaria mais antiga de Amarante, criada em 1930 e chamada de Confeitaria da Ponte (próximo da ponte de São Gonçalo).

DOCES CONVENTUAIS DE AMARANTE
DOCES CONVENTUAIS DE AMARANTE

Famosos são também os doces fálicos, também conhecidos como “colhões de São Gonçalo”. Ora aí está uma frase que nunca pensei escrever no meu blogue! Espetacular!

doces fálicos de amarante
COLHÓES DE SÃO GONÇALO

RESTAURANTES EM AMARANTE

TASQUINHA DA PONTE

Restaurante de 1 cifrão. Mais de 500 comentários no Google e uma classificação geral de 4.2 estrelas (num máximo de 5). Acolhedor e com uma atmosfera descontraída (os cães podem estar dentro do restaurante). Uma relação preço qualidade muito elogiada pelos clientes. Os pratos mais vezes citados de forma elogiosa são a chanfana de Javali e o cabrito. Li muitos dos comentários no Google, quase sempre positivos (4 ou 5 estrelas). Curiosamente também encontrei uns quantos muito negativos (uma estrela apenas). Ainda assim a classificação geral do restaurante é francamente positiva (4.2/5) e o preço muito em conta.

tasquinha da ponte amarante

HOTEIS EM AMARANTE

HOSTEL AND SUITES DES ARTS

Mais de 330 comentários online, uma classificação global de 4,5 (num máximo de 5 estrelas). Os comentários referem uma localização magnífica junto ao rio Tâmega. O hotel foi recentemente recuperado e apresenta-se aconchegante e limpo. O pequeno-almoço é bastante elogiado bem como uma varanda com uma vista magnífica para o rio Tâmega. Apesar de ser um hotel (com quartos partilhados), também é possível alugar quartos de casal (quarto twin).

HOSTEL AND SUITES DES ARTS

O QUE VISITAR PERTO DE AMARANTE?

Para ver com calma a cidade de Amarante, sugerimos uma escapadinha de 4 dias. Há muito para conhecer e para aprender nesta cidade! Caso lhe sobre algum tempo ou caso opte por uma estadia mais longa, saiba que nas imediações de Amarante há outros lugares magníficos para visitar! Aqui ficam 4 sugestões (Mondim de Basto, Peso da Régua, Guimarães e Castelo de Paiva) e um mapa para organizar os seus passeios com mais facilidade e eficiência!

CASTELO DE PAIVA

47 minutos e 48 quilómetros separam Amarante da vila de Castelo de Paiva, um local repleto de lendas, paisagens diversas e tradições. Castelo de Paiva é uma mistura de serra, rio, vinhas e minas. O resultado final é uma vila encantadora! As principais atrações de Castelo de Paiva são: a ilha dos Amores, a praia de Pedorido, a rota dos ofícios, o parque de Gramão, o Monte de São Domingos, o anjo de Portugal, as aldeias de Gondarém e Midões, percursos pedestres e o monte de São Gens. Um local a visitar!

GUIMARÃES

De Amarante a Guimarães distam 49 quilómetros, uma distância que se percorre 36 minutos. A cidade de Guimarães quase que dispensa apresentações. O berço de Portugal é uma cidade cheia de história e de atrações históricas. Ir a Guimarães é como voltar às aulas de história do liceu e aprender os detalhes do nascimento do nosso país em 1143. Se for a Guimarães não perca o centro histórico, o Castelo, o Paço dos Duques de Bragança, a Colina Sagrada, a rua de Santa Maria, a igreja de Nossa Senhora do Carmo e mais, muito mais. Guimarães é imperdível!

PESO DA RÉGUA (clique na imagem)

42 minutos e 61 quilómetros separam Amarante do Peso da Régua. É no coração do Alto Douro Vinhateiro que encontramos uma assombrosa paisagem que já foi classificada pela UNESCO como património mundial da humanidade. É no Peso da Régua que são plantadas as vinhas que dão origem ao famoso vinho do Porto. Se aceitar a nossa sugestão não deixe de ver a capela das 7 esquinas, a igreja matriz, o parque termal das caldas do Moledo e os diversos miradouros que a região oferece.   

MONDIM DE BASTO (clique na imagem)

De Amarante a Mondim de Basto distam 26 quilómetros, uma distância que se percorre em 28 minutos de carro. Fica na fronteira entre o Minho e Trás-os-Montes e tem no alto da senhora da graça o seu expoente máximo. Mondim é um pequeno lugar recheado de atração turísticas nas suas imediações. As paisagens são de cortar a respiração e os miradouros são as suas grandes atrações. Se for a Mondim não deixe de ver o centro histórico, a senhora da Graça, o parque natural do Alvão, as Fisgas do Ermelo, a aldeia de Varzigueto e a ponte de Vilar de Viando.

SE GOSTOU DESTE ARTIGO TAMBÉM VAI GOSTAR DE…

MONDIM DE BASTO (clique na imagem)
PESO DA RÉGUA (clique na imagem)