COIMBRA, 20 DICAS IMPERDÍVEIS para a cidade estudantil! (2021)

“Coimbra tem mais encanto na hora da despedida”… É impossível não concordar com esta famosa afirmação! Se for a Coimbra, vai começar a planear a visita seguinte ainda antes de terminar a primeira!

COIMBRA

É uma das cidades mais antigas e importantes do país! Coimbra está indissociavelmente ligada à sua Universidade. Os estudantes, com o seu traje negro, são presença constante nesta cidade onde a música também nunca falta tendo desenvolvido uma tradição de fado muito própria.

Embora Coimbra seja uma cidade pela qual nos apaixonamos logo à primeira vista, é na hora da despedida que realmente percebemos que este lugar, cheio de História e cultura, tem uma imensidão para oferecer! Venha connosco, vamos mostrar-lhe algumas das muitas atrações que não pode perder na eterna “cidade dos estudantes”.

COIMBRA II
COIMBRA II

ONDE FICA E COMO IR PARA COIMBRA?

Coimbra situa-se na Beira Litoral, na região Centro de Portugal. Fica a 200km de distância de Lisboa. A viagem de carro pode ser feita pela autoestrada A1 e demora duas horas. Outra opção é o autocarro, a viagem Lisboa-Coimbra tem um custo de 15€. Também é possível viajar até Coimbra de comboio, na Linha Norte, uma vez que a cidade dispõe de duas estações: Coimbra A (linha principal) e Coimbra B (centro da cidade).

COMO ME DESLOCAR EM COIMBRA?

Quando visitar Coimbra, poderá tomar partido dos transportes públicos. A Linha Azul dos autocarros da cidade, cuja rota passa por inúmeros pontos de interesse no centro histórico, revela-se particularmente vantajosa para quem está de visita. O Elevador do Mercado pode ser uma boa opção para fazer com facilidade a ligação entre a Baixa e a Alta de Coimbra. Atenção: para usar o elevador é necessário ter bilhete de transporte público.

ELEVADOR DO MERCADO, COIMBRA
ELEVADOR DO MERCADO, COIMBRA

QUANDO VISITAR COIMBRA?

Coimbra é cheia de vida e tradições e, por isso mesmo, existem eventos e atividades que decorrem ao longo de todo o ano. Ainda assim, acreditamos que a melhor altura para lhe fazer uma visita é entre Maio e Setembro. Isto porque se trata da altura do ano em que consegue escapar às temperaturas mais baixas, mas também por serem os meses menos chuvosos na cidade.

Em Junho, Coimbra organiza uma das mais importantes feiras medievais do país e a 4 de Julho (em anos pares), dão-se as festas da cidade em honra da Rainha Santa Isabel, sua padroeira. Ao longo do ano existem vários eventos ligados à vida académica, como a Latada (Outubro-Novembro) e a Queima das Fitas (Maio).

QUEIMA DAS FITAS
QUEIMA DAS FITAS

FADO DE COIMBRA

O fado, elemento incontornável da cidade de Coimbra, tem as suas raízes no século XVI. Este fado diferencia-se largamente do de Lisboa, apresentando uma guitarra, uma afinação, uma sonoridade e temáticas próprias. O fado de Coimbra é um fado de serenata, tocado num tom grave e cantado apenas por vozes masculinas. Debruça-se sobre o tema da saudade, seja da amada, da cidade de Coimbra, ou da Universidade. O fado de Coimbra é indissociável da Universidade. Alguns dos seus alunos vieram a tornar-se nomes maiores da música portuguesa, como é o caso de Adriano Correia de Oliveira e Zeca Afonso. Para desfrutar do fado de Coimbra na sua forma mais tradicional, sugerimos-lhe uma visita à Casa Fado ao Centro, onde, todos os dias às 18h, alunos e antigos alunos da Universidade fazem um pequeno espetáculo. O espaço é pequeno e, por isso, aconselhamos marcar lugar previamente.

FADO DE COIMBRA
FADO DE COIMBRA

O QUE VISITAR E FAZER EM COIMBRA?

Coimbra é uma cidade grande e bela! Há muito para explorar e conhecer na cidade dos estudantes e do Fado! 3 dias de visita é um período de tempo que lhe dará a oportunidade de desfrutar da cidade com calma e tranquilidade. Para que possa organizar a sequência dos seus passeios, preparámos-lhe um mapa. Esperamos que seja útil!

PASSEAR PELAS RUAS DE COIMBRA

Coimbra é uma cidade centenária, caracterizada pelas suas ruas estreitas, escadinhas, pátios e monumentos que atestam a passagem do tempo. Para conhecer verdadeiramente Coimbra, é indispensável percorrê-la a pé, contactando com as gentes e com os espaços.

A cidade desdobra-se, essencialmente, em duas partes. Por um lado, temos a Baixa de Coimbra, uma zona de cariz comercial cheia de cultura, seja pelos estabelecimentos tradicionais, seja pelo fado que se faz ouvir levemente pelas ruas. Por outro, temos o centro histórico, a Coimbra Velha, onde vamos encontrar magníficos monumentos, evocativos de outras épocas, numa zona que, no entanto, continua a pulsar de vida!

RUAS DE COIMBRA
RUAS DE COIMBRA

REPÚBLICAS DE COIMBRA

As Repúblicas são espaços de vida académica, que fazem a ponte entre a Universidade e a cidade. Situadas no centro histórico, vamos encontrá-las, sobretudo, entre a Rua de São Salvador e a Rua do Loureiro. Funcionam como locais de convívio e discussão entre estudantes e delas fizeram parte muitos elementos das elites letradas de Portugal, que mais tarde vieram a ocupar cargos públicos e de grande destaque na sociedade.

REPÚBLICAS DE COIMBRA
REPÚBLICAS DE COIMBRA

UNIVERSIDADE DE COIMBRA

Foi declarada Património da Humanidade pela UNESCO em 2013. A sua importância prende-se com o facto de ser uma das mais antigas universidades da Europa, bem como pela magnificência dos edifícios que a compõem, que originalmente eram um Paço Real.

A Universidade, que começou por ser itinerante, foi fundada em Lisboa, no ano de 1290. No reinado de D. João III é definitivamente fixada na cidade de Coimbra. A Universidade pode ser visitada pelo público geral e os detalhes das visitas podem ser consultados no site da instituição. Destacamos alguns dos pontos de interesse que não deve perder: o Pátio das Escolas; a Sala dos Capelos, onde têm lugar as cerimónias mais importantes, e a Capela de São Miguel (com o seu enorme órgão barroco).

universidade de coimbra
UNIVERSIDADE DE COIMBRA

MIRADOURO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

Se as vertigens não forem um problema para si, não perca a oportunidade de subir à torre da Universidade. Nesta torre, onde antes os sinos tocavam para marcar o início e o fim das aulas, encontramos atualmente um miradouro que proporciona uma visão de 360º sobre cidade de Coimbra. Uma vista de cortar a respiração!

MIRADOURO UNIVERSIDADE DE COIMBRA
MIRADOURO UNIVERSIDADE DE COIMBRA

BIBLIOTECA JOANINA

“A mais espetacular do mundo” – é desta forma que o jornal britânico Telegraph descreve a Biblioteca Joanina, que se situa no Paço das Escolas da Universidade de Coimbra. A construção desta biblioteca ficou concluída em 1728 e assume um estilo marcadamente barroco. No seu exterior, destaca-se o portal nobre encimado por um escudo de Portugal. O interior é caracterizado pela riqueza e abundância dos detalhes, como os frescos nos tetos e as estantes revestidas a talha dourada, o mobiliário feito de madeiras exóticas, sem esquecer o enorme retrato de D. João V, o responsável pela sua construção. A Biblioteca Joanina contém na sua coleção cerca de 60 mil obras, incluindo importantes documentos históricos anteriores ao século XIX.

BIBLIOTECA JOANINA, COIMBRA
BIBLIOTECA JOANINA, COIMBRA

CONÍMBRIGA

A uns escassos 17km de distância de Coimbra, encontramos Conímbriga, a cidade romana. Este verdadeiro museu ao ar livre é considerado o melhor complexo de ruínas romanas do país. O sítio arqueológico reveste-se de uma enorme importância, não só por se tratar de um “documento” para o estudo desta época em Portugal, como também pela qualidade e variedades das construções que o compõem.

A reforma da zona de Conímbriga durante a época romana foi ordenada pelo imperador Augusto e seguiu os princípios do urbanismo romano. Das ruínas fazem parte um fórum, termas, habitações e muralha. Durante a sua visita, espreite também o Museu Monográfico de Conímbriga, onde se expõem os achados arqueológicos do local. O bilhete para as ruínas e museu custa 4,50€ e o horário de funcionamento é das 10h00 às 19h00.

CONIMBRIGA
CONIMBRIGA

MUSEU DA CIDADE DE COIMBRA

O Museu da Cidade de Coimbra é parte do Museu Municipal, que se estende por três polos distintos. Foi inaugurado em 1910 e a sua coleção é composta, sobretudo, por pintura portuguesa dos séculos XIX e XX, mas também por artes decorativas. Dispõe de uma galeria de exposições temporárias que já acolheu obras de importantes artistas portugueses da atualidade. O Museu foi instalado no Edifício Chiado, um belo exemplar da arquitetura do ferro e do estilo Arte Nova. O horário de funcionamento é de Terça a Sexta entre as 10h00 e as 18h00 e Sábados das 10h00 às 18h00 (encerrado entre as 13h00 e as 14h00).

MUSEU MUNICIPAL DE COIMBRA
MUSEU MUNICIPAL DE COIMBRA

SÉ VELHA DE COIMBRA

A Sé Velha de Coimbra é um monumento quase tão antigo como o nosso país. Não se conhece a data certa do início da construção, mas pensa-se que D. Afonso Henriques a terá ordenado pouco depois da Batalha de Ourique, que ocorreu em 1139. As obras terão durado até ao início do século seguinte.

Trata-se de um monumento singular, uma vez que é um dos únicos exemplares do estilo românico da época da Reconquista a chegar aos dias de hoje de forma praticamente intacta. Esta catedral parece-se, à primeira vista, com um castelo, algo comum neste estilo arquitetónico. Também é na Sé Velha que encontramos uma das primeiras obras em estilo renascentista em Portugal, a Porta Especiosa, situada na fachada Norte. A escadaria da Sé Velha é palco para um dos eventos da Queima das Fitas, onde os estudantes trajados cantam o fado em celebração do fim do ano letivo.

SÉ VELHA DE COIMBRA
SÉ VELHA DE COIMBRA

MUSEU NACIONAL DE MACHADO DE CASTRO

O Museu Nacional de Machado de Castro foi assim denominado em homenagem ao escultor régio conimbricense Joaquim Machado de Castro (1731-1822). É considerado por muitos um dos mais importantes museus do país. Na sua origem, era um museu de arte sacra regional mas foi crescendo e hoje apresenta uma valiosa coleção de pintura, escultura e artes decorativas.

Mas os atrativos deste museu não se ficam pela sua coleção. Vale a pena visitá-lo também pelo edifício, formado por três unidades: a primeira é o criptopórtico romano, do século I d.C., composto por uma rede de galerias; a segunda é o antigo Paço Episcopal, um edifício que remonta aos séculos XI ou XII; e a terceira é um edifício recente, da autoria do arquiteto Gonçalo Byrne.

O horário de funcionamento do museu é de Terça a Domingo, entre as 10h00 e as 18h00. Aos Domingos e feriados, a entrada no museu é gratuita para residentes em Portugal.

MUSEU NACIONAL DE MACHADO DE CASTRO
MUSEU NACIONAL DE MACHADO DE CASTRO

SÉ NOVA DE COIMBRA

A Sé Nova de Coimbra é um templo jesuíta, inspirado no Mosteiro de São Vicente de Fora em Lisboa. As obras tiveram início em 1598 e ficaram a cargo do arquiteto oficial dos jesuítas, Baltazar Álvares. A Sé só foi inaugurada em 1698, quase meio século após a expulsão dos Jesuítas de Portugal, e passou a ser a sede episcopal de Coimbra. O exterior do edifício pode parecer quase austero, pelas suas linhas simples, mas o interior é ricamente decorado com retábulos de talha dourada dos séculos XVII e XVIII.

O cadeiral da capela-mor e a pia batismal em estilo gótico-manuelino foram para aqui trazidas da Sé Velha quando esta foi reduzida à condição de capela, durante o governo do Marquês de Pombal.

SÉ NOVA DE COIMBRA
SÉ NOVA DE COIMBRA

JARDIM BOTÂNICO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

O Jardim Botânico da Universidade de Coimbra cobre 13,5 hectares de área e foi fundado em 1772. Nos anos que se seguiram à sua fundação, deu-se início aos trabalhos e o projeto foi liderado por diversas figuras, que ampliaram e diversificaram o jardim. O jardim é composto por vários espaços distintos, entre os quais se destacam a Alameda da Tílias, que se assemelha aos passeios públicos das cidades europeias no século XIX e a Estufa Grande, de 1859, por ser um dos mais antigos edifícios da arquitetura do ferro em Portugal.

O Jardim Botânico está aberto ao público todos os dias, exceto a 25 de Dezembro, 1 de Janeiro, dia do Cortejo da Latada e dia da Queima das Fitas. De Abril a Setembro está aberto entre as 9h00 e as 20h00 e de Outubro a Março entre as 9h00 e as 17h30.

JARDIM BOTÂNICO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA
JARDIM BOTÂNICO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

JARDIM DA MANGA

Também conhecido como Claustro da Manga, o Jardim da Manga é um logradouro público que fica nas traseiras do Mosteiro de Santa Cruz. Trata-se de um dos primeiros exemplos inteiramente renascentistas da arquitetura portuguesa. Atualmente, sobrevive uma cúpula assente sobre oito colunas e rodeada por capelas e pequenos lagos. O jardim recebeu este nome devido à tradição que afirma que o rei D. João III, durante uma visita ao mosteiro, viu o espaço desaproveitado e desenhou na manga do seu gibão um claustro com um jardim, tendo sido esta a origem da construção.

JARDIM DA MANGA
JARDIM DA MANGA

PORTUGAL DOS PEQUENITOS

Se vier a Coimbra em família, não deixe de visitar Portugal dos Pequenitos, pois este parque temático é um local mágico para as crianças! Portugal dos Pequenitos resultou da iniciativa do professor Bissaya Barreto e foi inaugurado em 1940. A sua finalidade é mostrar diversos aspetos da cultura e do património de Portugal, sendo um espaço com fortes marcas do espírito e ideais do Estado Novo Português. O parque é constituído por sete zonas distintas e apresenta construções típicas em escala reduzida, ou seja, à escala das crianças. Estas podem explorar o parque e reconhecer a diversidade da arquitetura portuguesa e, ao contrário dos mais crescidos, conseguem entrar sem dificuldades no interior dos vários edifícios. Recentemente, esteve fechado para requalificação de algumas áreas, reabrindo em finais de Maio de 2021.

PORTUGAL DOS PEQUENITOS - COIMBRA
PORTUGAL DOS PEQUENITOS – COIMBRA

RUÍNAS DO MOSTEIRO DE SANTA CLARA-A-VELHA

Fundado em 1283, o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha situava-se na margem esquerda do rio Mondego. A Rainha Santa Isabel mostrou ter um grande apreço por este mosteiro, tendo feito vários esforços no sentido de melhorar o edifício. Após a morte de D. Dinis, a rainha recolheu-se no mosteiro e deixou em testamento a sua intenção de ali ser sepultada. Devido às sucessivas inundações provocadas pelo rio, o convento acabou por ser abandonado. A comunidade de clarissas que aí vivia foi transferida para um novo convento, o Mosteiro de Santa-Clara-a-Nova. Atualmente é possível visitar as ruínas do convento, numa visita que inclui a visualização de um vídeo sobre o monumento.

MOSTEIRO DE SANTA CLARA-A-VELHA
MOSTEIRO DE SANTA CLARA-A-VELHA

MOSTEIRO DE SANTA CLARA A NOVA

Este mosteiro, também conhecido como Convento da Rainha Santa Isabel, foi construído no século XVII para substituir o Mosteiro de Santa-Clara-a-Velha. As obras tiveram início em 1649 e terminaram com a sagração da igreja quase cinquenta anos depois, em 1696. O edifício, de estilo maneirista, era o local de clausura das monjas clarissas. A sua igreja é ricamente decorada, no entanto, o destaque vai para a urna de prata onde descansa o corpo incorrupto da Rainha Santa Isabel. A Rainha Santa tinha sido sepultada no convento antigo, de acordo com a sua própria vontade mas foi transferida para a esta igreja em 1696, após o abandono do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha.

MOSTEIRO DE SANTA CLARA A NOVA
MOSTEIRO DE SANTA CLARA A NOVA

VISITA VIRTUAL A COIMBRA

HISTÓRIA CONCISA DE COIMBRA

A importância da cidade de Coimbra remonta aos primórdios da própria História de Portugal. Em 1129, D. Afonso Henriques torna Coimbra a capital do condado, em substituição de Guimarães. Esta situação só se altera em 1255, com a mudança da capital para Lisboa. Foi sede de Diocese desde a época romana, substituindo Conímbriga, a cidade romana de onde deriva o seu nome.

Coimbra manteve a sua importância mesmo após deixar de ser capital, devido à sua localização central. Além disso, é também o local onde se encontra a Universidade mais antiga de Portugal ainda em funcionamento. A partir da Universidade, formaram-se movimentos estudantis de índole política, social e cultural que tiveram impacto na História do país, especialmente na passagem do Estado Novo para o regime democrático.

CRISE ACADÉMICA 1969, COIMBRA
CRISE ACADÉMICA 1969, COIMBRA

OUTRAS ATRAÇÕES NAS IMEDIAÇÕES DE COIMBRA

3 dias é o período de tempo que lhe sugerimos para visitar e conhecer a cidade de Coimbra com calma. Caso tenha decido passar um período de férias um pouco mais extenso, saiba que nas imediações há vários locais que merecem um olhar atento. Aqui ficam as nossas sugestões e um mapa para o ajudar a planear os passeios! Esperamos que seja útil!

FIGUEIRA DA FOZ
FIGUEIRA DA FOZ

De Coimbra à Figueira da Foz distam 58 quilómetros, uma distância que se percorre em 41 minutos de carro. A Figueira, também chamada de rainha da costa de Prata não se esgota no seu famoso casino. A praia da claridade é única e imperdível! Um areal fino e branco a perder de vista! Se lã for não deixe de visitar também o forte de Santa Catarina, o farol do Cabo Mondego e a freguesia de Buarcos.

POMBAL
POMBAL

34 minutos e 49 quilómetros separam Pombal de Coimbra. A cidade do todo o poderoso Marquês de Pombal merece uma visita atenta. Se lá for não deixe de ver o castelo, a igreja matriz, a praia do osso da baleia, o museu do Marquês de Pombal, o aquaparque panorâmico, o museu de arte popular portuguesa e a igreja de nossa senhora do Cardal.

TONDELA

Ao sair de Coimbra vai precisar de 54 minutos (69 quilómetros) para chegar a Tondela. Uma cidade que tem muito para ver onde se destacam: a serra do Caramulo, a ecopista do Dão, a capela de nossa senhora do campo, o miradouro do cabeço da neve e o parque urbano de Tondela.

ÁGUEDA

67 quilómetros e 52 minutos separam Coimbra da magnífica cidade de Águeda, a cidade dos guarda chuvas suspensos coloridos. É um local quase desconhecido pela maioria dos portugueses (e estrangeiros) mas é uma cidade que impressiona pelas suas cores, pela sua dinâmica e pelos seus monumentos! Imperdível!

GASTRONOMIA TÍPICA DE COIMBRA

Coimbra é famosa também pela sua gastronomia. Pratos como o arroz de lampreia, a chanfana ou o leitão assado à moda da Bairrada fazem as delícias de muitos portugueses. Durante o seu passeio pelas ruas de Coimbra, aproveite para fazer uma pausa numa tasca e saboreie petiscos tradicionais como as moelas, o pica-pau ou a raia de pitau. Nos cafés históricos da Baixa vai encontrar pastéis de Santa Clara e arrufadas, dois exemplos da doçaria de origem conventual da cidade. Existem também algumas criações modernas inspiradas pela História de Coimbra, como os sonhos de Pedro e Inês e a rosa da rainha.

RESTAURANTES EM COIMBRA

Há muitas e boas opções de restauração em Coimbra! Depois de uma apurada pesquisa, optámos por lhe sugerir um local típico, bom e… barato!

RESTAURANTE ZÉ MANUEL DOS OSSOS

Restaurante barato (de apenas 1 cifrão). Tem mais de 1450 comentários no Google e uma classificação global de 4,6 estrelas (num total de 5). Uma tasca à antiga! Restaurante pequeno, com um ambiente acolhedor, uma decoração simpática e comida de grande qualidade. Os comentários dos clientes referem com insistência a simpatia do pessoal e a excelente relação entre preço e qualidade.

MANUEL DOS OSSOS, COIMBRA
MANUEL DOS OSSOS, COIMBRA

HOTEIS EM COIMBRA

Numa grande cidade como Coimbra, é fácil encontrar diversas opções de alojamento. Opções caras e baratas, opções de luxo e remediadas, opções para todos os gostos e carteiras. A nossa sugestão recai num hotel que reúne a melhor relação preço qualidade da cidade.

HOTEL OSLO

Hotel de 3 estrelas a apenas 50 metros da estação de comboios da cidade. É gerido por uma pequena família que empresta ao hotel a sua simpatia e competência. Tem mais de 3300 comentários no Booking e uma classificação de 8.6 estrelas. A localização central do hotel e a magnífica vista para a cidade são dois pontos fortes.

HOTEL OSLO COIMBRA
HOTEL OSLO COIMBRA

SE GOSTOU DESTE ARTIGO TAMBÉM VAI GOSTAR DE…

lisboa
LISBOA (clique na imagem)
porto
PORTO (clique na imagem)